Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2015

Cântico de Entrega

Estende-me as palmas.
As torrentes.
Os desertos. Secos. Becos outros
da tua envergadura
pensa
tremulante
e pálida entrega-te
ás tuas curvas
e coxas
e palácios
plácidos
(sólidos)
insólitos. Devora-me
pois há entrega
e chama
e canções sem fim. e enquanto puder
(se puder) Fique. Apenas
ainda
hoje Ama-me

Canção ao (des)encontro

Nesse nosso desencontro
uma hora
Ou toda
a gente
se encontra.
Desencontra.
Revira.
E acredita
E segue.
E sol.
Leve.
Éter. Você. E vida que segue.
E mais.

O corpo

Qual o corpo
do corpo faltante?

Canção à Ponte

Antes a ponte
passante de si
enegrecida
de gozo.
Cru
em essência
e matéria Adiante
de pé
por sobre as cabeças
que pesa
que pena
que passa. E tanto passa
que de sonho
e forma
deseja
A estrada. Ao que toca
e passa.

Falte

E não te falte
não te falte
te falte
falte
não